Estado

UFRJ: soluções para mudança climática não estão à altura dos problemas

Pessoas veem problema, mas não sabem a solução, diz pesquisadora

Fonte:Agência Brasil
24 de Maio de 2022 as 17h 15min

© Tomaz Silva/Agência Brasil

 A pesquisa Mudanças Climáticas e Desenvolvimento Econômico: percepções da população da Região Metropolitana do Rio de Janeiro divulgada hoje (24), no campus da Praia Vermelha da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), revela a defasagem entre a gravidade do problema e o tipo de solução que as pessoas conseguem vislumbrar sobre os efeitos do aquecimento global em seu dia a dia.

A sondagem qualitativa foi feita pelo Laboratório Conexões do Clima, do Fórum de Ciência e Cultura da instituição, em março, e fez um diagnóstico sobre como as classes B e C percebem estes efeitos.

“Todo mundo vê que é um problema grave, que é um problema enorme, mas a solução é, ao mesmo tempo, ou abstrata ou individual. Não está à altura nem do tamanho nem da gravidade do problema”, disse àAgência Brasila coordenadora do Fórum de Ciência e Cultura, Tatiana Roque. “O principal é isso: as pessoas veem o problema, mas não sabem qual é a solução”.

A pesquisa envolveu oito grupos focais, cada um com 8 a 10 pessoas, com idades entre 18 e 50 anos, das classes B e C. A partir daí, foram estabelecidas dinâmicas com debates de até duas horas de duração com cada grupo.

Desastres

Uma segunda conclusão importante é que uma das principais maneiras pelas quais o problema das mudanças climáticas chega às pessoas é por meio dos desastres ambientais, como as enchentes provocadas pelas chuvas em Petrópolis, região serrana do Rio de Janeiro; na Bahia e em Minas Gerais, além das queimadas.

“Isso as pessoas citaram como questão importante e recorrente que, em geral, elas enxergam como associadas às mudanças climáticas, sim. Embora isso seja um problema muito antigo, as pessoas sabem que está ficando mais frequente, mais recorrente e mais intenso com as mudanças climáticas. Só que elas não sabem o que fazer”.

Segundo a coordenadora, há percepção de que algo grave está acontecendo, com mais desastres, chuvas mais fortes e mais frequentes, e estações do ano mais indefinidas. “Apesar de não haver dentro desse grupo pesquisado uma formulação mais precisa sobre o tema, há uma percepção instintiva de que vivemos uma crise ambiental grave e que as consequências podem ser devastadoras”, explicou.

Perfil

A pesquisa reuniu oito grupos focais, cada um formado por oito a dez a pessoas com idades entre 18 e 50 anos, das classes B e C. A partir daí, foram estabelecidas dinâmicas com debates de até duas horas de duração com cada grupo. Tatiana Roque explicou que os grupos têm perfil bem parecido e, portanto, não houve distinções entre eles. “Escolhemos esse perfil porque são pessoas que, em geral, são mais fluidas, mudam de posição política, não têm uma posição política definida. A gente não queria pessoas identificadas com uma preferência política, para poder entender como pensam as pessoas do meio, as nem-nem”.

Na maioria, os entrevistados associam problemas, como as enchentes, ao problema dos resíduos, ou lixo, que a própria população joga nas ruas, rios e mares. “Elas associam as enchentes às mudanças climáticas também, sabem que isso vai ficar mais grave. Elas sabem que uma maneira de, pelo menos, resolver os efeitos disso seria cuidando do lixo, mas elas não veem mais esperança no Poder Público. Elas só veem como solução as ações individuais. Essa foi uma coisa bem surpreendente da pesquisa”.

Tatiana acrescentou que os entrevistados percebem também a desigualdade existente no tratamento ou enfrentamento do problema. Ou seja, se uma pessoa perde tudo, mas tem mais condições, ela vai poder comprar tudo de novo. As pessoas mais pobres, não podem. O problema afeta diferentemente as pessoas mais pobres e aquelas com mais condições financeiras.

A conclusão da pesquisa é que “é preciso territorializar o debate climático e ambiental, aterrissar as questões, torná-las mais palpáveis e relacionadas com os problemas quotidianos e com o modelo econômico, que não é visto como relacionado às questões ambientais e climática. Essas ainda têm algo de etéreo e abstrato diante de urgências cotidianas”, disse Tatiana.

Conscientização

A pesquisa do Laboratório Conexões do Clima vai mostrar como os pesquisadores da UFRJ que trabalham sobre esse tema das mudanças do clima podem ajudar na conscientização da população sobre a necessidade e a urgência de enfrentar esse problema. Tatiana Roque disse que, a partir daí, vão delinear ações que possam ser feitos a partir da universidade, especialmente aquelas relativas à educação ambiental visando aumentar a possibilidade de engajamento das pessoas para enfrentar essa questão.

O Fórum de Ciência já está fazendo um curso para jovens sobre mudanças do clima em vários territórios do estado do Rio de Janeiro e o núcleo da capital pretende realizar no dia 11 de junho uma mobilização sobre a questão da despoluição da Baía de Guanabara, que também foi um tema muito citado na pesquisa. Esse é um caso que evidencia a má educação do povo que joga lixo e polui, por um lado; e a ineficiência das políticas públicas, por outro.

Além disso, o Laboratório de Conexões do Clima vai efetuar ações na Semana do Meio Ambiente, no período e 6 a 14 de junho, em alusão ao Dia Internacional do Meio Ambiente, que se comemora no dia 5 daquele mês. A programação ainda está sendo elaborada, mas já estão previstas iniciativas no Museu Nacional e palestras e debates pina própria UFRJ.


Siga MT Agora no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube e aproveite para entrar em nosso grupo do WhatsApp clicando AQUI e deixar aqui abaixo o seu comentário.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros

COMENTARIOS

Mais de Estado

Estado

"Construção do novo Hospital Regional de Alta Floresta é a prova de que estamos focados em salvar vidas", afirma governador

Mato Grosso já soma seis hospitais em construção no Estado, totalizando mais de R$ 700 milhões de investimento

28 de Junho de 2022 as 15h00

Estado

Governo investe em Segurança e resultados aparecem: Cuiabá é a 2ª capital com menor índice de mortes violentas

Estado destinou mais de R$ 274 milhões em obras e ações para reforçar a segurança na capital mato-grossense

28 de Junho de 2022 as 14h30

Estado

Investimentos do Governo de MT em Peixoto de Azevedo somam mais de R$ 89 milhões

Os recursos envolvem construção de pontes, repasses para ações culturais e sociais, e investimentos em saúde, educação e segurança pública.

28 de Junho de 2022 as 14h30

Estado

Seduc realiza fórum para implementar a Política Estadual de Educação Especial

Educadores, pais e estudantes, que já contribuíam de forma direta para se construir uma Educação Especial sem exclusão e mais equitativa, referendaram o texto final do documento

28 de Junho de 2022 as 14h15

Estado

Mega-Sena sorteia nesta terça-feira prêmio de R$ 35 milhões

As apostas podem ser feitas até as 19h, no horário de Brasília

28 de Junho de 2022 as 14h15

Estado

Perícia Médica de Rondonópolis passa a atender na unidade do Ganha Tempo

A mudança visa oferecer mais conforto e comodidade aos servidores que precisam da perícia na região

28 de Junho de 2022 as 13h45

Estado

“Esse hospital é a prova de que saúde da população é prioridade para esse Governo”, destaca prefeito de Alta Floresta

Governador Mauro Mendes esteve em Alta Floresta para assinar a ordem de serviço para a construção do Hospital Regional, convênios e entregar equipamentos para os municípios de Apiacás, Carlinda, Nova Monte Verde e Alta Floresta

28 de Junho de 2022 as 13h30

Estado

Preconceito afeta produção de dados sobre LGBTI+

Pesquisadores falam sobre o tema No Dia do Orgulho LGBTI+

28 de Junho de 2022 as 11h00

Estado

Governo de Mato Grosso investe mais de R$ 43 milhões em Matupá

Cerca de R$ 15 milhões foram apenas para o melhoramento da infraestrutura regional, enquanto o restante foi para as áreas de educação e realização de obras sociais

28 de Junho de 2022 as 11h00

Estado

Governo de MT inaugura centro de descarte de equipamentos eletrônicos nesta quarta-feira (29)

Projeto visa promover o recondicionamento de computadores, que serão destinados para o atendimento de projetos de inclusão digital

28 de Junho de 2022 as 11h00

Estado

Governo do Estado alavanca R$ 100 milhões e credencia instituições financeiras para operacionalizar linhas de crédito

Medida tem por finalidade reduzir as dificuldades de acesso ao crédito enfrentadas por pequenos empresários, microempreendedores individuais e produtores rurais

28 de Junho de 2022 as 11h00

Estado

Governo do Estado lança edital de R$ 20 milhões para estruturação de laboratórios multiusuários

É o maior edital do Governo do Estado de investimentos em ciência, tecnologia e inovação (CTI), nos 24 anos de existência da Fapemat

28 de Junho de 2022 as 11h00

Estado

Prefeitura de São Paulo divulga blocos inscritos no Esquenta Carnaval

Folia será nos dias 16 e 17 de julho

28 de Junho de 2022 as 11h00

Estado

Publicada lei que cria Sistema Eletrônico de Registros Públicos

Implantação do sistema vai até 31 de janeiro de 2023

28 de Junho de 2022 as 11h00

Estado

Alunos da Escola Estadual Gilvan de Souza participam de experiência inédita

O projeto ‘Arte além dos muros’, executado em Porto Alegre do Norte, investiu em uma atividade que enriquece a educação e auxilia na aprendizagem escolar

28 de Junho de 2022 as 11h00

Busca telefônica em Lucas do Rio Verde - MT

ENQUETE

veja +

COTAÇÃO