Economia

Empresas estaduais e municipais poderão pegar R$ 3 bi emprestados

Novo sublimite foi aprovado pelo Conselho Monetário Nacional

Fonte:EBC
25 de Novembro de 2021 as 20h 30min

© Marcello Casal JrAgência Brasil

Até o fim do ano, as empresas estaduais e municipais poderão pegar R$ 3 bilhões emprestados no sistema financeiro sem garantia da União (sem o Tesouro Nacional cobrindo eventuais calotes). O Conselho Monetário Nacional (CMN) aprovou um sublimite nesse valor para essas companhias, com base em remanejamentos dentro do limite máximo que o setor público pode contratar em 2021.

Neste ano, União, estados, municípios e o Distrito Federal podem pegar até R$ 20,5 bilhões emprestados em bancos e organismos internacionais. Esse teto não foi alterado, mas sublimites dentro do valor máximo foram reduzidos para abrir espaço para as estatais locais pegarem empréstimos.

Dos R$ 3 bilhões autorizados, R$ 2,5 bilhões foram remanejados do limite autorizado para as operações com garantia da União, que caiu de R$ 9 bilhões para R$ 6,5 bilhões. Os R$ 500 milhões restantes vieram do remanejamento de operações sem garantia da União para órgãos e entidades dos estados, do Distrito Federal e dos municípios, que caiu de R$ 11 bilhões para R$ 10,5 bilhões.

A medida não trará despesas para o Tesouro Nacional. A decisão apenas facilitará o trabalho das estatais locais, que tinham de disputar espaço fiscal com os governos estaduais, as prefeituras e o governo do Distrito Federal na hora de pegarem empréstimos. O novo limite será aplicado apenas para as futuras operações de crédito. Os empréstimos e financiamentos atuais continuarão registrados no limite de operações sem garantia da União.

Para serem enquadradas no limite de R$ 3 bilhões, as empresas estaduais e municipais precisarão cumprir uma série de critérios. Elas precisarão gerar receitas próprias há pelo menos dez anos, ser listadas na B3 (a bolsa de valores brasileira) e ser avaliadas com grau de investimento (garantia de selo de que não haverá calote) por alguma agência de classificação de risco registrada ou reconhecida pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

Contabilidade

O CMN também aprovou alterações nas regras de empréstimos de instituições financeiras para o setor público. A partir de 1º de janeiro, as instituições financeiras não deverão registrar no Patrimônio de Referência as linhas de crédito contratadas e não utilizadas e os recursos das linhas contratadas que ainda não foram liberados. Embora, na prática, o procedimento ocorra dessa forma, a regra não estava explicitada pelo Conselho Monetário.

A segunda mudança diz respeito às operações de créditos com garantias em transferências da União, que permitem ao governo federal reter repasses aos Fundos de Participação dos Estados e dos Municípios em caso de calote. O custo efetivo máximo das operações, que inclui juros, impostos e taxas, poderá ser até 25% mais alto que o custo efetivo máximo das operações com garantia direta da União, quando o Tesouro cobre calotes com recursos próprios. Segundo o Ministério da Economia, essa regra já está estabelecida numa portaria editada em 2017.

Outras decisões

O CMN também aumentou a segurança na aplicação de recursos de regimes próprios de Previdência Social (RPPS), que custeiam a aposentadoria do funcionalismo público, tanto federais, como estaduais e em municípios de maior porte. Os investimentos obedecerão a regras mais rígidas de transparência, como a separação entre os recursos próprios desses regimes e os aportes dos governos, e a uma série de outras normas.

Em outra decisão, o Conselho Monetário modernizou a forma como os bancos contabilizam instrumentos financeiros e reconhecem a relação de proteção nas operações de hedge (quando um investidor contrata uma operação no mercado futuro para se proteger de uma queda de preço ou de alta de custos). Segundo o Banco Central (BC), a mudança alinha a contabilidade das instituições financeiras brasileiras às normas internacionais.


Siga MT Agora no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube e aproveite para entrar em nosso grupo do WhatsApp clicando AQUI e deixar aqui abaixo o seu comentário.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros

COMENTARIOS

Mais de Economia

Economia

Conab: Programa Modernização do Mercado Hortigranjeiro tem 1º boletim

Ceasas registram queda no preço da batata e alta da cebola

20 de Janeiro de 2022 as 10h30

Economia

Edital de privatização da Codesa será publicado amanhã

O evento está previsto para ocorrer no dia 25 de março

20 de Janeiro de 2022 as 10h15

Economia

Governo define reajustes de benefícios e contribuições previdenciários

Portaria foi publicada hoje no Diário Oficial da União

20 de Janeiro de 2022 as 08h30

Economia

Auxílio Brasil: Caixa paga hoje famílias cadastradas com NIS final 3

Repasse mínimo a cada família é de R$ 400

20 de Janeiro de 2022 as 07h15

Economia

Plano de recuperação do RJ poderá passar por ajustes, diz governador

Texto voltará a ser discutido com Ministério da Economia em 15 dias

19 de Janeiro de 2022 as 20h45

Economia

Auxílio Brasil deve injetar, no mínimo, R$ 84 bilhões na economia

Estudo da CNC aponta que 70% deste valor será para consumo imediato

19 de Janeiro de 2022 as 18h30

Economia

Pandemia aumenta acesso da população a serviços bancários

Contas digitais já atendem 19% dos brasileiros

19 de Janeiro de 2022 as 15h00

Economia

Monitor do PIB indica alta de 1,8% em novembro de 2021, diz FGV

Avanço da economia mostra reversão de queda e estagnação

19 de Janeiro de 2022 as 14h00

Economia

EPE sugere antecipação de obras para escoar energia gerada no Nordeste

Meta é solucionar restrições locais para conexão de futuros projetos

19 de Janeiro de 2022 as 13h15

Economia

Ministério avalia concessão do Aeroporto Santos Dumont no Rio

Portaria foi publicada hoje no Diário Oficial da União

19 de Janeiro de 2022 as 08h30

Economia

Caixa paga hoje Auxílio Brasil para cadastrados com NIS terminado em 2

A Caixa Econômica Federal paga, nesta quarta-feira (19), a terceira parcela do Auxílio Brasil às famílias inscritas no Cadastro Único para Program...

19 de Janeiro de 2022 as 06h00

Economia

Sefaz disponibiliza resgate de pontos para desconto no IPVA 2022

Com 400 pontos o motorista já consegue o desconto máximo de R$ 100

18 de Janeiro de 2022 as 16h30

Economia

CNC: Brasil encerrou 2021 com recorde de endividados

As famílias recorreram mais ao crédito para sustentar o consumo

18 de Janeiro de 2022 as 11h00

Economia

Governo apresenta regras para relicitação do aeroporto de Natal

Contrato a ser assinado terá vigência de 30 anos

18 de Janeiro de 2022 as 09h00

Economia

Auxílio Brasil começa a ser pago nesta terça-feira

Investimento para os pagamentos supera R$ 7,1 bilhões

18 de Janeiro de 2022 as 07h15

Busca telefônica em Lucas do Rio Verde - MT

ENQUETE

veja +

COTAÇÃO