Artigo

Foro Privilegiado de mãe

Que os nossos filhos consigam entender nossas ausências e o nosso trabalho

12 de Maio de 2019 as 11h 14min

Meus dois filhos Guilherme, 34 anos, e Gustavo, 18, mais do que ninguém podem contar as agruras de ter uma mãe advogada. Mas o desafio de conseguir tornar simbióticas essas duas funções não foi uma tarefa fácil na minha vida. E esse aprendizado é algo que devo à minha própria mãe.
 
Comecei a trabalhar com ela, aos 11 anos, como doméstica. Ela lavava as roupas e eu limpava a casa onde prestávamos serviço. Terminei o segundo grau, hoje ensino médio, e parei de estudar porque me casei e meu marido não aceitava que eu estudasse. Logo Guilherme, meu primeiro filho, nasceu e depois de sete anos encarei uma separação traumática.
 
Morávamos no Paraná e quando fui convidada a trabalhar no Departamento Jurídico de uma cooperativa vi a oportunidade de voltar a estudar e cursar Direito. Passei no vestibular de uma faculdade há quase 100 quilômetros da minha casa e fazia o trajeto todos os dias de ônibus. Minha mãe foi meu suporte, pois cuidou do Guilherme durante todo esse período. Eu ia para a casa dela, em outra cidade, nos finais de semana para ficar com meu filho e para me tornar um pouco filha também.

Sofri assédio, bullying, preconceitos de todo tipo. Era uma mulher separada e meu próprio pai achava inadmissível que quisesse estudar, ter uma profissão e ser independente. Naquela época, mulheres como eu, decididas e cheias de atitude, não eram vistas com bons olhos pela sociedade. Mas, minha mãe, nunca me faltou e jamais deixou de me estimular a seguir adiante.
 
Conclui a tão sonhada Faculdade de Direito em 1994, já com 32 anos. Eu sabia que ia ocupar meu espaço no universo profissional e ser respeitada por isso, não importava quanto eu precisasse andar no mundo. E foi aí que surgiu Mato Grosso.

Ao me formar, vim cuidar do jurídico de uma cooperativa em Diamantino e depois de 6 anos recebi o convite para ser Coordenadora do Fórum Criminal de Cuiabá. Fiz a Escola de Magistratura, depois fui trabalhar num dos maiores escritórios de advocacia da capital, tive meu filho Gustavo, montei meu próprio escritório, fui relatora do Tribunal de Ética e Disciplina da OAB-MT, entre 2016 e 2018, e agora sou uma das diretoras da Caixa de Assistência dos Advogados de Mato Grosso (CAA/MT).
 
Eu, assim como muitas advogadas, encarei dificuldades, deixei muitas vezes meus filhos em prol do sonho de exercer o Direito e fazer desse mundo um lugar mais justo. Tive minha mãe como musa e espero servir de inspiração para as minhas netas Thayla, 11 anos, e Alice, 2.
 
E se o foro privilegiado quebra o princípio de que todos são iguais perante a lei, ele se justifica na necessidade de proteger essa função tão especial que é ser MÃE. 
 
Que os nossos filhos, legítimos ocupantes dos cargos dos Tribunais Superiores das nossas vidas, consigam entender nossas ausências e a importância do nosso trabalho em prol do Direito e das Mulheres.
 
Feliz Dia das Mães à todas as mulheres que por amor aos filhos enfrentam o mundo! 
 
ROSENI APARECIDA FARINACIO é advogada e diretora da Caixa de Assistência dos Advogados de Mato Grosso


Fonte: Mídia News

COMENTARIOS

Mais de Coluna

Coluna

Coração rompido

Corrupção é o coração rompido do Brasil. Não apenas simbolicamente.

13 de Julho de 2019 as 23h19

Coluna

O mundo oculto das relações

Grande sacada mental é valorizar o que temos e não o que está faltando

13 de Julho de 2019 as 23h15

Artigo

Chore no começo para sorrir no fim

É necessário planejamento, seja no futebol, no trabalho, na faculdade, na família, nos negócios

08 de Julho de 2019 as 12h03

Artigo

Divórcio impositivo

A Emenda Constitucional prevê o divórcio como um direito do Cidadão

08 de Julho de 2019 as 12h01

Artigo

Inteligência emocional para adolescentes

O castigo não funciona porque coloca o jovem em posição de vítima, o que não contribui para o desenvolvimento da autodisciplina

04 de Julho de 2019 as 14h29

Day-trade

Day-trader Bruno Dias revela a psicologia do mercado financeiro

O mercado por ser conduzido por pessoas se expõe a uma psicologia.

25 de Junho de 2019 as 13h39

Artigo

Intimação por WhatsApp

Está certíssimo, pois é mais um mecanismo rápido de expansão de acesso à justiça

24 de Junho de 2019 as 10h54

Coluna

Lucas do Rio Verde: Investir para crescer

Uma pequena grande cidade no centro-norte de Mato Grosso. Prestes a completar 31 anos de emancipação político-administrativa, Lucas do Rio Verde traz na sua história grandes conquistas e títulos.

11 de Junho de 2019 as 21h07

Artigo

Organizar é Preciso

Cada negócio, família ou empresa possui suas peculiaridades que devem ser respeitadas e estudadas de forma aprofundada para traçar as melhores estratégias sejam elas sucessórias, tributárias ou empresariais

04 de Junho de 2019 as 09h40

Artigo

Gerenciamento do tempo de alta performance

A realização dos seus sonhos depende da forma como você gerencia o seu tempo

04 de Junho de 2019 as 09h38

Artigo

Viver bem é uma questão de perspectiva

O que podemos perceber é que, na verdade, a ajuda que necessitamos só pode partir de nós mesmos

04 de Junho de 2019 as 09h36

Artigo

"Eu fui perseguida desde o dia do registro da minha candidatura"

Senadora do PSL questiona voto de relator, diz que processo tem nulidades e que será absolvida no TSE

06 de Maio de 2019 as 10h16

Entrevista

A reforma trabalhista reduziu as "aventuras jurídicas", diz juíza

A juíza Dayna Lannes Andrade apontou os pontos positivos e negativos da reforma, em vigor há um ano

01 de Maio de 2019 as 10h55

Artigo

O gosto do seu cliente

Não parametrize seu cliente através dos seus gostos ou preferências

23 de Abril de 2019 as 21h59

Artigo

O povo deveria julgar os acusados de crimes de corrupção

É uma forma democrática de reforço à participação popular no exercício do poder jurisdicional do Estado

23 de Abril de 2019 as 21h56

Guia MT

Busca telefônica em Lucas do Rio Verde - MT

Enquete

veja +

COTAÇÃO