Tiago Pariz e Ana Flor

PIB de 2011 abre espaço para mais medidas de estímulo

Fonte:MT Agora - Reuters
06 de Março de 2012 as 16h 53min

O baixo desempenho da economia brasileira em 2011, com crescimento de 2,7 por cento, acendeu a luz amarela dentro do governo -que já acena com mais medidas para estimular a atividade, sobretudo na indústria- e no próprio setor produtivo, que ainda teme a concorrência externa.

"O setor industrial ainda patina e isso decorre do aumento da importação. O PIB (Produto Interno Bruto) deve crescer em 3,5 por cento... mas o governo brasileiro tem que continuar a tomar medidas para incentivar a indústria nacional", afirmou o diretor de economia da Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee), Antônio Corrêa de Lacerda, fazendo coro com outros representantes do setor produtivo.

"O desafio não é apenas crescer o consumo, mas crescer o investimento produtivo e a produção", acrescentou.

O PIB brasileiro cresceu 0,3 por cento no quarto trimestre de 2011 em comparação com o terceiro, depois de encolher 0,1 por cento entre julho e setembro passado sobre o segundo trimestre, informou nesta terça-feira o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Com isso, a expansão acumulada no ano ficou em 2,7 por cento, muito menor do que os 7,50 por cento vistos em 2010.

O desempenho indica que a atividade econômica começou a melhorar no fim do ano passado, apesar de o setor industrial continuar patinando bastante. No ano passado, essa atividade cresceu apenas 1,6 por cento, comparado com uma expansão de 2,7 por cento dos serviços e de 3,9 por cento da agropecuária.

MAIS ESTÍMULOS

Diante desse cenário, o governo já se armou para mostrar que não ficará parado e deixou claro que adotará mais medidas para estimular o crescimento, sobretudo a indústria. O ministro da Fazenda, Guido Mantega, afirmou que, entre elas, novas ações para a impedir a sobrevalorização do câmbio.

"O setor industrial precisa de alguns estímulos que serão dados", afirmou Mantega. "As medidas não estão prontas, faremos ao longo do ano para estimular o investimento e o setor industrial", afirmou o ministro ao comentar o resultado do PIB de 2011, acrescentando que a economia brasileira crescerá de forma gradativa, atingindo seu ápice no quarto trimestre, quando estará registrando crescimento anualizado de 5 por cento.

O ministro argumentou que o cenário externo foi o grande vilão da economia e, para este ano, continuará atento já que a atividade mundial continuará apresentando um desempenho tímido. Até mesmo a China já anunciou uma meta de crescimento menor.

Para Mantega, a desaceleração da economia chinesa pode resultar em desvalorização nos preços das commodities agrícolas e minerais. "Se se confirmar uma desaceleração mundial e da China poderemos ter deflação no preço das commodites", afirmou.

Para 2012, a previsão oficial do governo é de um crescimento de 4,5 por cento, mas o BC é mais comedido e aponta apenas 3,5 por cento.

O presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, também avalia que o a economia vai intensificar o seu ritmo de crescimento ao longo do ano, mas que será "compatível com o equilíbrio interno e externo e consistente com o cenário de convergência da inflação para a meta em 2012."

A meta oficial de inflação é de 4,5 por cento ao ano pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), com tolerância de 2 pontos percentuais para mais ou para menos.

MENOS JUROS

Com o resultado, os agentes econômicos continuam esperando mais cortes na Selic -hoje em 10,50 por cento ao ano- daqui para frente, o primeiro deles na reunião desta quarta-feira, quando o Comitê de Política Monetária (Copom) se reúne novamente.

A expectativa é de um corte de 0,50 ponto percentual, mas há algumas apostas em 0,75 ponto. Desde agosto passado, a autoridade monetária vem reduzindo a taxa básica de juros, movimento que já somou 2 pontos percentuais.

"O resultado ficou bem aquém no acumulado do ano do que esperava o governo (em torno de 3 por cento). Mas se o governo errou na previsão, fica claro que o Banco Central acertou o movimento de corte de juros", afirmou o economista-chefe da Gradual Investimentos, André Perfeito.

O recuo do crescimento em 2011 veio também pelo esforço do governo entre o final de 2010 até meados de 2011 para esfriar a economia, que estava aquecida e pressionava a inflação. Em dezembro de 2010, o governo anunciou medidas macroprudenciais que desestimularam o consumo e em janeiro do ano passado começou um processo de elevação da Selic que somou 1,75 ponto percentual e a levou a 12,50 por cento ao ano em julho.

Com a piora do cenário externo, o governo fez uma volta de 180 graus e passou a estimular a economia novamente voltando a reduzir o juro básico da economia, entre outras medidas.

Para políticos, a decisão de esfriar a economia no início de 2011 poderia ter sido menos forte.

"Houve um efeito psicológico negativo quando no início do ano (de 2011) o governo começou a fazer cortes e segurar investimentos. Foi uma jogada errada, que espalhou pelo país uma onda negativa, um efeito manada. Todo mundo começou a se retrair", avaliou o presidente nacional do PMDB, senador Valdir Raupp (RO).

"Se este ano continuar no ritmo do ano passado, (o PIB) pode frustrar novamente. A partir de agora vamos ter que dar uma acelerada", acrescentou ele.


Siga MT Agora no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube e aproveite para entrar em nosso grupo do WhatsApp clicando AQUI e deixar aqui abaixo o seu comentário.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros

COMENTARIOS

Mais de Brasil

Investimentos

Brasil e EUA concluem acordos para facilitação de investimentos

Presidente afirmou que pacote traz benefícios e fluxo de investimentos

19 de Outubro de 2020 as 10h47

Energia Limpa

Brasil inaugura uma das maiores plantas de biogás do mundo, em SP

Presidente Jair Bolsonaro participou da cerimônia de inauguração do empreendimento, da empresa Raízen, que contou com financiamento BNDES

19 de Outubro de 2020 as 10h31

Dia D

Campanha de vacinação segue até 30 de outubro

Sábado (17) é o “Dia D” para multivacinação e poliomielite. Meta é vacinar mais de 11 mil crianças de um a cinco anos até fim do mês

19 de Outubro de 2020 as 10h30

Enem 2020

Enem 2020: inscrições para certificadores começam nesta quarta-feira

As inscrições para a Rede Nacional de Certificadores (RNC), a fim de atuação em atividades de certificação dos procedimentos do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020, começam nesta quarta-feira (9) e vão até o dia 29 deste mês.

09 de Setembro de 2020 as 09h36

Coronavírus

Farmacêuticas da Europa e dos EUA prometem rigor em testes para vacina

Promessa é manter processo científico para vacinas contra covid-19

08 de Setembro de 2020 as 14h04

Aulas Presenciais

Covid-19: retorno de aulas presenciais é controverso nos estados

Amazonas saiu na frente e retomou atividades presenciais em agosto

08 de Setembro de 2020 as 08h34

Vacina

Argentina e México vão produzir vacina da Oxford

Informação foi dada pelo presidente argentino, Alberto Fernández

13 de Agosto de 2020 as 09h54

Covid-19

Ivermectina só poderá ser vendida com receita enquanto durar a pandemia, decide Anvisa

Decisão já havia sido aplicada a outros medicamentos, como a hidroxicloroquina, a cloroquina e a nitazoxanida

24 de Julho de 2020 as 22h25

Coronavírus

Fiocruz: covid-19 se estabilizou em níveis altos de incidência e morte

Estudo é referente ao período de 28 de junho a 11 de julho

20 de Julho de 2020 as 19h39

Covid-19

Estados e municípios recebem auxílio de mais de R$ 15 bilhões

Recursos fazem parte da segunda parcela do auxílio financeiro concedido pelo Governo Federal a estados e municípios

15 de Julho de 2020 as 15h38

Covid-19

Conselhos tutelares recebem Equipamentos de Proteção Individual

Ao todo, 30 mil conselheiros, em 5,9 mil Conselhos Tutelares do País receberão os kits de proteção

15 de Julho de 2020 as 15h33

Sociedade

Justiça abre consulta para atualizar Plano Nacional de Segurança

Período de recebimento das sugestões será de 45 dias

15 de Julho de 2020 as 15h32

Trecho barrado

Bolsonaro veta renovação por mais 30 anos de contratos de estatais de saneamento

Essa sobrevida, agora barrada, é considerada importante para estatais porque o novo marco proíbe que novos contratos sem licitação sejam fechados

15 de Julho de 2020 as 15h21

Novas Negociações

Em decreto, Bolsonaro permite redução de jornada e salários por mais 30 dias

Empresas e empregados ficam autorizados a fazer novas negociações para ampliar o corte de jornada por mais um mês e a suspensão de contrato por mais dois meses

14 de Julho de 2020 as 23h08

Ajuda

Aos 91 anos, vovô pede ajuda para vender tecidos em loja tradicional de Guarulhos

Uma vida dedicada aos tecidos que foi interrompida por conta da pandemia do coronavírus.

07 de Julho de 2020 as 15h44

Busca telefônica em Lucas do Rio Verde - MT

ENQUETE

veja +

COTAÇÃO